Arquivo da Categoria ‘Sobre a profissão’

Conquistas!

Terça-feira, 6 de Agosto de 2013

002
Este mês estamos comemorando 5 anos de atividades do nosso blog do Curso de Detetive Particular e queremos compartilhar com todos a alegria do nosso aniversário. São cinco anos de textos dedicados a essa maravilhosa e instigante profissão.

Ficamos sempre muito felizes com os contatos que recebemos através deste canal de interação. Sugestões, colaborações, dúvidas, relatos de experiências, tudo isso agrega e constrói o dia a dia de nossa relação: professores, alunos, ex-alunos, amigos e Detetives Particulares. Através dos textos do blog procuramos auxiliar e sanar dúvidas dos nossos alunos e da rotina dos Detetives Particulares.

O sucesso do nosso blog é dedicado a vocês! Buscando sempre novas formas de interagir, nossos textos agora podem ser “twittados”, curtidos e compartilhados no Facebook e, ainda, comentados aqui no blog.

Ficaremos sempre aguardando seu contato, para que possamos comemorar mais e mais aniversários juntos, o INVESTIG e todos vocês!

Check list para o início dos trabalhos

Sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2013

Após a negociação com o(a) cliente, com a definição de valores e a assinatura do contrato, chega o momento de o Detetive Particular traçar sua linha de trabalho, ou seja, o profissional deve pensar de que forma desenvolverá a investigação.

Tudo deve ser pensado antes do início das investigações: os equipamentos necessários para realizar o trabalho (câmera fotográfica, câmera filmadora, câmeras camufladas, carro, moto, disfarces, alimentação, dinheiro, etc.), bem como a quantidade de agentes.

Lembramos que é muito importante que todos os aspectos, inclusive imprevistos, devem ser arrolados e bem pensados antes do início de qualquer investigação.

Não basta ter câmera fotográfica com uma boa capacidade de memória, porém sem bateria (ou pilha) suficiente para toda a investigação, e o veículo deve ser abastecido antes da investigação. Além disso, deve-se providenciar alimentação e bebida em quantidade suficiente para todo o período de realização do trabalho.

Em face disso, é muito útil que o Detetive Particular faça um check list (lista de checagem) antes de sair para trabalhar.

Exemplo:

- câmera fotográfica/filmadora (funcionando);

- bateria (carregada);

- bateria reserva (carregada);

- disfarce 1 (pronto);

- disfarce 2 (pronto – para uma possível mudança de estratégia durante a investigação);

- alimentação;

- água;

- dinheiro;

- veículo (funcionando e abastecido);

Desejamos a todos muitas investigações e muito sucesso.

A Ética do Detetive Particular

Segunda-feira, 19 de Novembro de 2012
Ser ético é adotar uma postura justa, correta, adequada, que não prejudique as demais pessoas, que busque a verdade e não cause mal a outrem.
A ética impõe limites morais para que o indivíduo saiba até onde o agir é honesto, correto, justo.
O Detetive Particular deve sempre agir com ética ao desenvolver o seu trabalho, mantendo, sobretudo, o sigilo das informações obtidas durante e após a investigação. Essa atitude demonstra também a responsabilidade do profissional.
O Detetive deve ser ético por completo (integralmente), ou seja, não deve cometer “pequenos deslizes”.
Agindo com ética, o Detetive Particular faz jus à confiança que o cliente nele deposita.
Sejamos, caros colegas e estudantes, a cada dia mais cuidadosos e diligentes com nossas condutas, buscando, especialmente, agir sempre com ética e respeito.

Ser ético é adotar uma postura justa, correta, adequada, que não prejudique as demais pessoas, que busque a verdade e não cause mal a outrem.

A ética impõe limites morais para que o indivíduo saiba até onde o agir é honesto, correto, justo.

O Detetive Particular deve sempre agir com ética ao desenvolver o seu trabalho, mantendo, sobretudo, o sigilo das informações obtidas durante e após a investigação. Essa atitude demonstra também a responsabilidade do profissional.

O Detetive deve ser ético por completo (integralmente), ou seja, não deve cometer “pequenos deslizes”.

Agindo com ética, o Detetive Particular faz jus à confiança que o cliente nele deposita.

Sejamos, caros colegas e estudantes, a cada dia mais cuidadosos e diligentes com nossas condutas, buscando, especialmente, agir sempre com ética e respeito.

ENVOLVIMENTO EMOCIONAL

Segunda-feira, 17 de Setembro de 2012

Todos os trabalhos que são aceitos pelos profissionais da investigação privada devem ser tratados com o máximo de zelo e, sobretudo, devem ser conduzidos com muito profissionalismo. Além de empregar sempre a melhor técnica de investigação, o Detetive Particular deve agir com ética e respeito com seus clientes e sindicados. Nesse sentido, é importante que não se envolva emocionalmente com o caso que está sendo investigado.

O referido distanciamento emocional não significa falta de comprometimento com o trabalho, pelo contrário, é o que permite ao profissional atuar com inteligência, de forma racional, sendo sempre orientado pelas técnicas de investigação. Dessa forma, o Detetive Particular jamais deverá se precipitar, motivado pela emoção, e tentar qualquer ato de heroísmo para obter provas.

Todo Detetive Particular deve ter em mente que foi contratado para realizar um serviço de investigação. Em face disso, o envolvimento afetivo, em especial o amoroso, não é recomendável, pois pode comprometer a investigação e até mesmo a reputação do profissional.

Durante os contatos com as partes, o Detetive Particular deve estar focado na investigação, não se permitindo qualquer tipo de envolvimento afetivo. Porém, caso ocorra de o Detetive Particular sentir-se envolvido emocionalmente com uma das partes, deve repassar o caso a outro profissional, a fim de que a investigação não fique comprometida por qualquer tipo de julgamento parcial.

Da mesma forma, caso uma das partes envolvidas na investigação faça insinuações (por exemplo: quero sair com você…), o profissional deve mostrar-se comprometido com a ética, não se deixando levar por qualquer tipo de impulso. Nesses casos, o Detetive Particular pode informar claramente ao(à) contratante que, se tais condutas persistirem, será obrigado a cancelar as investigações ou a repassar o caso a outro colega.

Esperamos a participação de todos na discussão sobre este tema! Contem-nos suas experiências e as soluções encontradas.

O DETETIVE PARTICULAR DEVE PRODUZIR PROVAS

Quarta-feira, 1 de Agosto de 2012

Todos sabem que o mercado de trabalho dos Detetives Particulares é amplo e encontra-se em expansão, sobretudo em face do grande número de traições (de namorados, maridos, esposas, amigos, sócios, etc.).

Nesse contexto, a dúvida é o elemento que impulsiona as pessoas a contratarem um Detetive Particular, por isso ela jamais deve ser menosprezada pelo profissional de investigação privada. O profissional comprometido com a ética e com o seu trabalho deve demonstrar seriedade e muito respeito por aquele que o está contratando.

Dessa forma, o Detetive Particular jamais deve fazer qualquer comentário sobre a pessoa que investiga, especialmente perante o seu cliente. A avaliação da conduta do sindicado cabe exclusivamente ao cliente. O Investigador Privado deve se limitar a produzir as provas.

Outro aspecto que deve ser salientado para o cliente, caso seja constatada a traição, é que a melhor saída é contratar um advogado para saber as possibilidades jurídicas de dissolver a união, seja ela conjugal ou empresarial. Deve ser explicado ao contratante que reações violentas em nada o beneficiarão, pelo contrário, só trarão prejuízo.

O Detetive Particular jamais deve instigar seu cliente a cometer qualquer tipo de ilicitude (mesmo que seja um mero ataque verbal ao traidor), tampouco deve participar de algum ato desse tipo que o cliente venha a realizar. Nesse sentido, reiteramos a lição: O DETETIVE PARTICULAR DEVE SE LIMITAR A PRODUZIR PROVAS!

Esperamos seus comentários acerca do tema!